25 janeiro 2008

Baretta - meu 1º Herói!!


BARETTA (1975)

Desde que me entendo por gente, alguns membros da minha família me chamam de "Baretta". Eu sempre soube que era um personagem de um seriado policial americano dos anos 70 que, por algum motivo, não saia da minha boca. A todo momento eu queria ver Baretta, eu falava de Baretta e Baretta se transformou no meu primeiro "Herói da TV". Só que eu cresci e nem mesmo uma vaga lembrança deste seriado restou em minha mente. A não ser a célebre Cracatoa "Fred".

O tempo passou e agora eu consegui um episódio da Baretta na Internet... e estou me deliciando com o que vi, aquele cenário anos 70 e tudo mais... saudosista incurável que sou, nem vou comentar que estou adorando. Agora, vou fazer um pequeno resumo sobre Baretta, e torcer para que consiga os demais episódios.



O Detetive Tony Baretta era um policial que morava em um hotel de quinta na companhia de sua Cracatoa "Fred". Outros personagens da série eram os supervisores de Baretta a Inspetora Shiller (Dana Elcar) e o Tenente Hal Brubaker (Edward Grover); Billy Truman (Tom Ewell), um ex-policial das antigas e quase sempre bêbado que entrava sorrateiramente no hotel onde Baretta morava; e Rooster (Michael D. Roberts), um cafetão da área e informante favorito de Tony.

As frases bordões de Baretta incluíam (tradução minha, pois não lembro da versão brasileira da época): "Pode levar pro banco" e "Esse é o nome da canção".

A música tema da série, "Keep Your Eye on the Sparrow" foi composta por Dave Grushin e M. Ames. Na primeira temporada, era instrumental, depois ganhou letra e era cantada por Sammy Davis Jr. Cada episódio de Baretta começava com a canção, que continha a máxima (mais uma vez, tradução minha sem saber a antiga): "Não cometa crimes se pode fazer a hora".



Baretta durou de 1975 a 1978 pela ABC. Era a sequência de uma outra série de 1973-74 chamada "Toma". Apesar do sucesso de "Toma", o ator principal deixou a série na primeira temporada, o que levou à sua refoemulação e a criação de Baretta.
(Fonte: Wikipedia)

A Abertura já com a voz de Sammy Davis Jr:

Um comentário:

Tijolo disse...

Rapaz, séries dos anos 70 não eram tão movimentadas como as de hoje. Swat mesmo foi tirada do ar, por quer segundo a emissora tinha muita violência. Assistindo hoje, quase não se vê sangue na tela.

Baretta veio de uma leva de séries memoraveis como As Panteras e Hawaii 5-0, e vai que daqui uns dias ganha um remake nas telonas...